Da série
Autoavaliação das Unidades Escolares 2018
11 Maio 2018
0
0
0
s2sdefault
 

A fachada da E.M. Pereira Passos (1ª CRE), na Praça Condessa Paulo de Frontin, no Rio Comprido, esconde agradáveis surpresas em seu interior: um bonito jardim de inverno circundado por salas bem-cuidadas. Todo o ambiente reflete o motivo de essa ser a unidade mais procurada entre as escolas públicas municipais da região. Não é apenas o cenário, mas, principalmente, a comunidade escolar que faz a diferença. “Sempre repito para todos – alunos e professores – que queremos ser a melhor escola da Rede. Então, temos que trabalhar para isso. A autoavaliação faz parte do processo, porque nos faz detectar onde podemos melhorar e buscar estratégias”, explica a diretora Andrea de Almeida.

No último dia 2, Andrea, Márcia Bomfim, diretora adjunta, e Liliana Medeiros, coordenadora pedagógica, se reuniram com as professoras da Educação Infantil ao 5º ano para discutir as questões da unidade, sob a orientação do roteiro distribuído pela SME para a autoavaliação em curso na Rede Pública Municipal de Ensino.

Entre alguns dos pontos fortes da E.M. Pereira Passos lembrados pelo grupo estão: o bom relacionamento da equipe e entre profissionais e alunos, conhecendo todos pelo nome; e a parceria estabelecida com instituições próximas, como o Centro de Saúde Salles Neto, o Centro de Referência de Assistência Social (Cras), ONGs dedicadas ao reforço escolar e a biblioteca do bairro.

Priscila Gabriel, professora do 3º ano, diz que o atendimento inclusivo às crianças com deficiência é um problema, pois faltam recursos humanos e pedagógicos para lidar de forma eficaz com a questão. “Minha sala devia ter 28 alunos e tem 35. Não é possível dar aula para tantas crianças e ainda atender à necessidade específica de um aluno especial sem ajuda capacitada – humana e, dependendo do caso, material.” Outro entrave é a falta de mobiliário, como mesas e cadeiras, que vem sendo sanada com empréstimos.

A direção da E.M. Pereira Passos se reuniu também com representantes das turmas. Ouviu deles o pedido por um espaço de discussão de assuntos de interesse dos jovens, como preconceito e socialização, e a sugestão de aproveitar as frutas que sobram da merenda para fazer suco e saladas. Estão previstas, ainda, reuniões com os professores do segundo segmento e com os responsáveis.

Autoavaliação das Unidades Escolares 2018
Mais da Série
Relacionados
Mais Recentes