Da série
Agenda 2030
05 Abril 2019
0
0
0
s2sdefault
 
ONU Gabriela auditorio
Oficina sobre a Agenda 2030 para docentes da Rede Pública Municipal do Rio. Foto Alberto Jacob Filho, 2019, MultiRio

Como atividades e projetos relacionados à sustentabilidade podem ser desenvolvidos em sala de aula, agora que a pauta da Agenda 2030 se consolidou como ação estratégica da Secretaria Municipal de Educação (SME)? Para auxiliar as escolas a pensarem em caminhos pedagógicos que abracem os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda, foi iniciada uma série de oficinas formativas voltadas aos educadores da Rede Pública Municipal.

A primeira delas, feita em parceria com a ONU-Habitat, programa das Nações Unidas voltado à vida nas cidades, aconteceu na Escola de Formação Paulo Freire sendo transmitida para as telessalas das 11 CREs da cidade e a página da MultiRio no Facebook.

Várias escolas da Rede já trabalham com temas da sustentabilidade, como observou a secretária municipal de Educação, Talma Suane, durante o evento. A convidada da ONU-Habitat, Gabriela Uchoa, chefe do Departamento Agenda Teresina 2030, órgão da prefeitura da capital piauiense, lembra, contudo, que o conceito de desenvolvimento sustentável avançou em relação à Rio-92: “A pauta de hoje não é mais apenas ambiental. São 17 ODS desdobrados em 169 metas relacionadas entre si, que vão da redução das desigualdades à paz social; do consumo e produção responsáveis à igualdade de gênero; da educação de qualidade ao combate das alterações climáticas”.

ONU TALMAEGABI
A secretária municipal de Educação, Talma Suane, e a convidada da ONU-Habitat, Gabriela Uchoa. Foto Alberto Jacob Filho, 2019, MultiRio

Agentes da mudança

Uma das principais tarefas que a Agenda 2030 coloca diante das escolas é a de descobrir formas de atuação que transformem os alunos em agentes da mudança. “Estimular o protagonismo juvenil é fundamental. É preciso incentivá-los a criar propósitos e encorajá-los a encontrar soluções, sempre com as lentes do desenvolvimento sustentável”, expõe Gabriela Uchoa. Mas como fazer isso acontecer?

Segundo ela, uma simples questão do cotidiano, como a merenda escolar, pode levar a várias reflexões sobre os ODS. Quem planta os alimentos que estão à mesa? Eles são cultivados com ou sem agentes químicos e com quais tipos de semente? Seu plantio gera renda para quem? Que impactos o cultivo causa ao meio ambiente? Que consumo de energia e de água demanda? E o despejo dos restos de comida, dos copos e das embalagens descartáveis? Quais problemas estão por trás de uma simples merenda? Como podem ser solucionados? Como a escola e os alunos podem contribuir para a solução (ou parte dela)? “É preciso criar comprometimento, seja individualmente ou em conjunto”, defende Gabriela.

Ferramentas pedagógicas

ONU planodeaula2
Detalhe de um plano de aula disponível na versão em português do site World's Largest Lesson

Um site produzido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), em parceria com várias ONGs e fundações privadas, contém várias ferramentas úteis aos educadores que querem trabalhar com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Trata-se do World’s Largest Lesson, que apresenta, em inglês, uma série de recursos que podem ser utilizados em sala de aula.

O site também tem uma versão em português: A Maior Lição do Mundo. Nem todos os recursos foram traduzidos, mas pode-se encontrar filmes de animação, histórias em quadrinhos, planos de aula e um guia que auxilia o professor a criar projetos de mudança liderados por alunos.

Cartilha e concurso

A SME distribuirá para todas as escolas da Rede Pública Municipal de Ensino uma cartilha produzida pela Casa Civil com o apoio da equipe de Artes Gráficas da MultiRio. Nela, os ODS são apresentados por um boneco humanizado, símbolo do Plano de Desenvolvimento Sustentável (PDS) da Cidade do Rio de Janeiro. O Plano, articulado pela Casa Civil com base nas metas da Agenda 2030, é uma política pública de longo prazo da Prefeitura, a ser abraçada por todos os órgãos da administração.

ONU Cartilha2
Capa da cartilha que será distribuída a todas as unidades da Rede

A parceria da SME com a Casa Civil resultou no projeto Todo Mundo Tem um Nome. E o Meu? Quero Saber. Trata-se de um concurso que visa incentivar o protagonismo dos alunos da Rede, convocando-os a criar o nome do personagem-símbolo da cartilha do PDS. O regulamento será distribuído, em breve, para as CREs e as escolas do município.

A MultiRio também desenvolve uma série jornalística, com várias matérias sobre a Agenda 2030, com publicações previstas para o decorrer de todo o ano. Outros produtos também serão produzidos para o site participa.rio.

Em parceria com a Casa Civil e a ONU-Habitat, SME realizou a primeira oficina sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável
Mídias Relacionadas
Agenda 2030
Mais da Série
Relacionados
Mais Recentes