11 Dezembro 2018
0
0
0
s2sdefault
 
Foto: Alberto Jacob Filho

Assim como acontece na série audiovisual Como É Bom Tocar um Instrumento, os alunos da Rede Pública Municipal de Ensino do Rio foram as estrelas no lançamento da produção, que aconteceu nesta terça-feira (11) na Escola de Formação Paulo Freire. Com apresentações musicais, depoimentos e emoção dos presentes, os estudantes participantes da série – que destaca alguns dos jovens talentos do projeto Orquestra nas Escolas, da Secretaria Municipal de Educação (SME) – brilharam ao mostrar, em palavras e na prática, a relação de amor que mantêm com a música.

“Jamais imaginei ser protagonista de uma série, me senti importante. Agora sou violoncelista da Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca”, disse Nataly Carvalho, de 13 anos e um dos personagens da série. A estudante da Escola Municipal Coelho Neto (6ª CRE, Ricardo de Albuquerque) toca violoncelo no grupo que faz parte do projeto Orquestra nas Escolas.

Entre os convidados, além dos alunos que participaram da série, seus pais e responsáveis, estavam presentes professores e diretores das escolas dos estudantes; a chefe de Gabinete da MultiRio, Lysbeth Libonati; Rejane Faria, coordenadora da Coordenadoria de Supervisão da Gestão Administrativa da SME, representando a secretária municipal de Educação, Talma Suane; Márcio Costa, diretor geral da Escola de Formação Paulo Freire; e a equipe da MultiRio que atuou na realização de Como É Bom Tocar um Instrumento.

A abertura do evento contou com a apresentação da estudante Kaylane Almeida, de 12 anos, da Escola Municipal Coelho Neto e que encantou a todos interpretando, no violino, uma música de composição própria. Foram exibidos um vídeo de apresentação da série, destacando os estudantes que são personagens da produção, e um episódio completo, que traz a história de Nataly e de Deryk Couto, de 13 anos, aluno da Escola Municipal Francisco Manuel (2ª CRE, Vila Isabel) e que pratica contrabaixo.

A equipe da MultiRio que produziu a série foi representada pelo diretor André Glasner, o cinegrafista Robson Silva, a assistente de produção Mônica Frazão e a roteirista Adriana Passos, que falaram sobre o processo de desenvolvimento da série, as gravações e os desafios para o resultado final de Como É Bom Tocar um Instrumento.

“Escolhi o saxofone porque, na minha escola, ninguém queria tocar. Eu queria. Agora, todo mundo quer”, conta Luan Carvalho, de 14 anos. O estudante da Escola Municipal Rubem Berta (8ª CRE, Bangu) mostrou que a escolha foi acertada, brindando os presentes com um solo de saxofone no encerramento.

Em dez minidocumentários, a série Como É Bom Tocar um Instrumento, mostra 21 participantes do projeto Orquestra nas Escolas, da Secretaria Municipal de Educação, destacando a prática musical e a educação como elementos de transformação. Com a narrativa dos próprios estudantes, cada programa mostra os sonhos de personagens que têm em comum a paixão pela música. Novos episódios vão ao ar às quintas-feiras, às 14h, no canal 26 da NET. Todos os programas ficam disponíveis na plataforma de vídeos Assista MultiRio.

a chefe de Gabinete da MultiRio, Lysbeth Libonati