09 Julho 2021
0
0
0
s2sdefault
 
O diretor e roteirista Jorge Furtado participou da abertura do projeto Cineclube nas Escolas 2021

"O foco do projeto Cineclube nas Escolas atualmente está na formação de professores", afirmou Carla Celestino, responsável pela Gerência de Leitura da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro (SME).

As ações desenvolvidas são virtuais, por meio do canal da Sala de Leitura no YouTube. Para participar, acompanhe as iniciativas pelo aplicativo Rioeduca em Casa (baixe o aplicativo nesse link) ou pela página da Gerência de Leitura.

Em maio, foi realizada a sessão de abertura da edição de 2021 do Cineclube nas Escolas, com a participação de 1.100 profissionais da Educação. Houve a exibição do filme Saneamento Básico e debate com o próprio diretor e roteirista do filme, Jorge Furtado; além da professora de Oceanografia da Uerj, Letícia Cunha; e da bióloga e doutora em Oceanografia pela USP, Gleyci Moser. O tema da conversa foi cinema, educação e o quanto as atividades humanas dependem de rios e mares.

Outro momento de formação para professores foi o dia dedicado ao audiovisual no Seminário Leituras Cariocas, que aconteceu virtualmente no canal da Sala de Leitura SME Carioca no YouTube em junho (o vídeo está disponível na plataforma). A mesa contou com as palestrantes Eliane Mayworm, professora de roteiro e coordenadora da Mostra de Audiovisual de Petrópolis; William Esteves, professor de Artes Cênicas do Curso Técnico de Produção em Áudio e Vídeo do Colégio Estadual D.Pedro II, de Petrópolis; Martha Rocha, Mestre em Literatura Brasileira e Especialista em Cinema e Educação; Nadia Ziade, especialista em Comunicação e cineducadora; e Valéria Preza, especialista em Mídias na Educação e Pós-graduada em Literatura Infantil e Juvenil.

"Os professores da Mostra de Petrópolis realizaram mais de 100 curtas com alunos durante a pandemia e trouxeram essa experiência para compartilhar com a Rede", contou Márcia Romualdo, da equipe da Gerência de Leitura da SME.

O Seminário Leituras Cariocas teve um dia dedicado ao audiovisual

Durante a mesa no Seminário, foi lançado o caderno pedagógico da Sala de Leitura 2021 . “Nele, Há sugestões de filmes curtos que dialogam com o núcleo comum preconizado pela BNCC . A ideia é sugerir que os professores promovam um diálogo da linguagem audiovisual com os componentes curriculares específicos que ministrem”, explicou Márcia Romualdo, da equipe da Gerência de Leitura.

“A linguagem audiovisual está sendo potencializada de várias formas na Rede Pública Municipal de Ensino”, disse a gerente Carla Celestino. No segundo semestre, por exemplo, haverá um projeto envolvendo slam poético cuja apresentação final, em novembro, incluirá a exibição de vídeos com as poesias faladas e ritmadas (slam) em cada uma das 11 CREs, além de Creja e Instituto Helena Antipoff (IHA). A criação audiovisual com o slam será feita pela equipe escolar formada pelo professor orientador e seus alunos.

Também a partir de agosto, haverá a oficina de audiovisual e cineclubinho. Por um período de até dois meses, professores dos diversos segmentos, da creche à Educação de Jovens e Adultos (EJA), poderão realizar vídeos de até dois minutos com suas turmas. Esses vídeos serão apresentados nos encerramentos de projetos da Gerência de Leitura . A equipe da gerência também planeja, em diálogo com professores que já participaram desse tipo de produção, dar continuidade ao Cineclubinho – o projeto Cineclube nas Escolas voltado para as crianças pequenas – no segundo semestre

A oficina de audiovisual ainda está sendo planejada, mas já conta com a colaboração do professor Ygor Lioi, responsável pelo projeto Cinescola, na E.M. Adalgisa Neri (10ª CRE), em Santa Cruz, que tem participado com seus alunos de festivais internacionais de audiovisual. Mais próximo à data, haverá abertura de inscrições para os professores interessados na formação.

MultiRio divulga produção audiovisual de estudantes e professores

Além de apoiar as ações do projeto Cineclube nas Escolas, a MultiRio tem iniciativas que incentivam e dão visibilidade à produção escolar na Rede Municipal do Rio. O Festival MultiRioFilme – Rio Contra o Corona, de 2020, recebeu vídeos nas categorias Alunos da Educação Infantil,Alunos do 1º ao 5º ano, Alunos do 6º ao 9º ano, Alunos do Peja e Professores e outros profissionais da Educação, incentivando a produção escolar da Rede e estimulando a conscientização e o engajamento da comunidade escolar na prevenção e no combate à pandemia da Covid-19. As As obras vencedoras na votação popular e os vídeos da mostra não-competitiva da Educação Infantil podem ser assistidos on-line.

Outra produção da MultiRio dedicada ao estímulo e visibilidade à produção audiovisual de alunos e professores é a série Escola, Câmera, Ação!, na qual estudantes da Rede Pública Municipal de Ensino assistem a e comentam filmes feitos por alunos de outras escolas municipais. Em mais de 70 episódios realizados, divididos em três temporadas, a série exibiu e promoveu o debate sobre cerca de 110 filmes produzidos nas escolas da Rede, além de trazer depoimentos de profissionais e de professores contando sobre sua atuação no audiovisual

Mídias Relacionadas
Relacionados
Mais Recentes